a

Clínica de Dermatologia com Tratamento Clínico, Cirúrgico e Estético.

(61) 3351-2330 / 98549-3951

contato@webapp265429.ip-97-107-133-38.cloudezapp.io
Centro Médico Lúcio Costa - SGAS 610 Bl 01 Sl 107/108

Posts recentes

Seg - Sex

09:00 as 19:00

(61) 3351-2330 / 98549-3951

contato@marcelopompeu.com.br

Centro Médico Lúcio Costa

SGAS 610 Bl 01 Sl 107/108

Como avaliar suas pintas?

Como avaliar suas pintas?

Como avaliar suas pintas?

Sua pinta pode ser um câncer de pele e você sabe fazer o auto exame? Ela pode ser um Melanoma.

Saiba como avaliar sua pinta!

O melanoma é o mais agressivo câncer de pele e devido ao aumento das radiações solares, mais especificamente a radiação ultra violeta e o uso das câmaras de bronzeamento, sua incidência  vem aumentando significativamente.

A radiação solar proporciona erro no reparo do DNA da pele, ocasionando mutações genéticas, fazendo as células se multiplicarem desordenadamente, originando o tumor maligno, que no caso do melanoma, se originam nas células produtoras de pigmento (melanócitos).

Muitas vezes eles se assemelham a pintas e alguns também podem se originar de pintas já existentes.

A maioria dos melanomas são de cor preta ou marrons, mas também podem ser cor de pele, rosados,  avermelhados ou esbranquiçados.

Como todo câncer, o melanoma pode ser curável quando descoberto na sua fase inicial, mas muitos pacientes ainda morrem deste tipo de câncer, por isso, é fundamental todos saberem fazer o auto exame e, também saber suspeitar de pintas de parentes e amigos.

Com o auto exame, você aumenta significativamente sua chance em descobrir precocemente o câncer.

Levantada a suspeita, seu médico dermatologista fará uma inspeção clínica e realizará um exame mais específico, que é a dermatoscopia , realizada com o dermatoscópio.

Que é um aparelho com lentes mais fortes e, com um examinador treinado, conseguirá  identificar alterações mesmo que iniciais, que uma lupa comum não conseguiria.

Esse exame auxiliará  seu médico dermatologista  a tomar a decisão  mais  adequada, como a retirada ou não da lesão,  aumentando a credibilidade para a retirada cirúrgica.

Permite também o acompanhamento de lesões binignas e documentação digital.

Existem alguns  indivíduos  com maior risco que outros:

Pessoas de pele , olhos e cabelos claros e que se exporam a radiação solar, principalmente na infância ou adolescência, um ou mais casos na família, história pessoal de melanoma, portadores de pintas escuras , grandes e irregulares.

O melanoma pode aparecer tanto em áreas expostas quanto em protegidas.

Nas pernas são mais comum em mulheres , no dorso em  homens e regiões palmo plantares em homens e mulheres negras.

O melanoma surge  mais comumente na pele normal, mas pode se originar de uma pinta antiga.

Ele se  diferencia  em relação às outras pintas, sendo um sinal escuro que cresce rápido, que pode mudar de cor, e até coçar e sangrar.

Como avaliar suas pintas?

Como funciona- Regra A-B-C-D-E?

Se mais de um dos critérios abaixo for aplicado, entre em contato com seu dermatologista:

A – Assimetria

As lesões de melanoma são frequentemente irregulares ou assimétricas no formato. As pintas benignas são simétricas.

B – Bordas

Os nevos não cancerígenos têm as bordas bem definidas, no melanoma as bordas são irregulares e difíceis de serem delimitadas.

C – Cor

A presença de mais de uma cor (azulado, negro, acastasnhado, etc.) ou a distribuição heterogênia da cor é um sinal de alerta para o melanoma. Lesões benignas geralmente tem única marrom ou acastanhada.

D – Diâmetro

As lesões de Melanoma são normalmente maiores de 6 millimetros de diâmetro.

E – Evolução

Mudanças que podem ser sinal de alarme

  • alteração de cor (escurecimento, mudança da cor original, múltiplas cores)
  • alteração de tamanho (aumento, diminuição, elevação)
  • alteração ao redor da lesão (vermelhidão, clareamento, inchaço)
  • alterações sensitivas (coceira, ardência, queimação, sensação estranha)
  • sangramento na lesão
  • novas lesões